Image and video hosting by TinyPic

domingo, janeiro 22, 2006

Teatro Culturgest - Uma Laranja Mecânica

Para os amantes do filme 'A Laranja Mecânica' fica a notícia que estreia no próximo dia 26 de Janeiro, na Culturgest, a peça 'Uma Laranja Mecânica', de Anthony Burgess.

Teatro 26, 27, 28 e 29 de Janeiro

21h30 (dias 26, 27 e 28)

17h00 (dia 29)

Grande Auditório

Duração 1h30 (aprox.)

15 Euros

Até 30 anos: 5 Euros.

Preço único

Uma Laranja Mecânica

Uma peça com músicaDe Anthony Burgess.

Um espectáculo da APA

A ideia de “livre-arbítrio versus predestinação”, enquanto única forma de atingir a “humanidade” do ser humano, é para mim a questão central da peça. O protagonista escolhe o mal como acto deliberado de liberdade espiritual num mundo de conformismo radical, assumindo desta forma que o bem está potencialmente mais presente num homem que escolhe deliberadamente o mal do que num homem que é forçado a ser bom. Os homens são o que são e não podem ser forçados a ser qualquer coisa por meio de pressões ou condicionamentos sociais. A maturidade humana é-nos apresentada como capacidade de mudar por si próprio, de aceitar a mudança e de repudiar o passado. É uma visão perturbadora sobre o controlo estatal que aniquila qualquer possibilidade de redenção escolhida livremente. Reflecte duma forma inteligente a relação entre o cidadão e o Estado e obriga-nos a reflectir e a pensar.

Manuel Wiborg

'(…) Deixo entrever aqui algum desânimo a respeito da adaptação visual do meu livrinho, e o leitor tem agora o direito de perguntar porque empreendi uma versão dele para o palco. A resposta é muito simples. É para deter o jorro de adaptações amadoras de que me chegou notícia, embora nunca as tenha visto. É para fornecer uma versão teatral definitiva que tenha autoridade autoral. É, além disso, uma versão que, ao contrário da adaptação cinematográfica de Kubrick, abarca a totalidade do livro, apresentando no fim um herói delinquente que está agora em processo de crescimento, que se apaixona, que inicia uma vida decente e burguesa com mulher e filhos, e que nos consola com a doutrina de que a agressão é um aspecto da adolescência que a maturidade rejeita. (...)Há três momentos que reclamam música da minha autoria, ou de outra pessoa, mas o espírito de Beethoven tem que estar presente – o espírito da maturidade criativa que sabe conciliar a criação e a destruição. Não se trata aqui de grande ópera. É uma peçazinha que qualquer grupo pode interpretar, e é a minha despedida de uma preocupação que persistiu demasiado tempo. Quero dizer, uma preocupação escusada com um livro que pertence definitivamente ao meu passado – ao fim e ao cabo tem um quarto de século – e que eu preferiria esquecer. Escrevi outros livros e, creio eu, bem melhores.'

Anthony Burgess

Podem também ler aqui o que foi escrito na revista cultural do Diário de Notícias (20 Jan. / 2006):

A 'Laranja' ainda amarga

'Numa capital terrestre, num futuro indeterminado, um bando de jovens delinquentes - look exótico, linguagem tribal de calão e neologismos misturados com inglês e russo - aterroriza e maltrata a eito, em arrebatamento selvagem, cujo prazer sádico tem o andamento eufórico de uma sinfonia de Beethoven. Apanhado pela polícia, Alex, o líder, será cobaia dum programa psiquiátrico para recuperar criminosos... Lembra Laranja Mecânica (1971) de Stanley Kubrick? Sim, mas o escritor Anthony Burgess não gostou da polémica versão cinematográfica do seu romance, a elidir-lhe o epílogo, e fez versão dramatúrgica para enventuais adapatações futuras: A Clockwork Orange - A Play with music. A peça tem agora estreia entre nós pela APA, encenação musical e arranjos de José Eduardo Rocha, músicos do Ensemble JER a executar. Cabe a Carlos António a responsabilidade de interpretar o protagonista criado pelo inesquecível Malcolm McDowell no ecrã. Num Alex que, em cena, devolvido à sociedade, reencontra o bando mas também algo que o mantém na via da normalização. variante que não desactualizou essa obra do tempo da antipsiquiatria (Laing como chefe de fila no contexto britânico original) e da constestação às duas superpotências. A laranja ainda amarga'

Culturgest - Gestão de Espaços Culturais, SA.Edifício Sede da Caixa Geral de Depósitos

Rua Arco do Cego1000-300 Lisboa

e-mail: culturgest@cgd.pt

telefone: 21 790 51 55fax: 21 848 39 03

Metro: Campo PequenoAutocarros: 1, 21, 27, 32, 36, 38, 44, 45, 47, 49, 56, 83, 90, 91, 108

Fonte: Diário de Notícias / Culturgest

Etiquetas: ,

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]



Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial


 

 

free website stats program